Bruxismo e Recuperação de Dentes Desgastados.

O bruxismo, causas, sintomas e tratamentos para recuperação dos dentes desgastados.

 

Por Luís Gustavo Leite, dentista graduado e especializado em próteses dentárias pela Ufrgs, em Porto Alegre.

 

 

O que é o bruxismo ?

 

O bruxismo é um ranger ou forte apertamento dos dentes cuja repetição prolongada pode promover severos desgastes dentários e ainda dar origem a desconfortos e dores nos músculos do pescoço e cabeça (encefaléias). A intensidade dessa ação muscular varia entre indivíduos. Pequenos desgastes dentários  e fraturas extensas em dentes restaurados, próteses ou até mesmo implantes dentários, ou grandes perdas de harmonia na estética facial decorrentes dos desgastes excessivos dos dentes são outros achados clínicos comuns ao problema. Em situações mais severas, o bruxismo pode afetar as articulações têmporo-mandibulares (ATM), podendo levar ao deslocamento da mandíbula ao bocejar ou falar.

 

 

Quais os sintomas? O que causa o bruxismo?

 

A maioria das pessoas não sabe que range ou aperta os seus dentes. Inconsciente, muitas vezes o bruxismo é identificado pelo conjugue durante o sono. Nessa etapa do problema o paciente começa a notar desgastes e áreas fraturadas em diversas regiões dos seus dentes. Outros indivíduos podem desconfiar que as dores de cabeça e no pescoço que não resolvem após tratamentos médicos podem ter como origem o bruxismo, já que torcicolos e dores de ouvidos podem ter como causa os impactos musculares e articulares provocados pelo bruxismo.

 

O bruxismo não tem uma única causa específica, e o mais comum é encontrar dois ou mais fatores predisponentes ao bruxismo atuando para desencadear o problema. Fatores neurológicos e hereditários têm sido relacionados ao bruxismo. O estresse psicológico e fatores ambientais também podem influenciar no aparecimento do bruxismo tanto quanto os fatores neurológicos e hereditários.

 

 

Bruxismo noturno: o tipo mais comum do problema.

 

O bruxismo é dividido em dois tipos: consciente e inconsciente. Didaticamente denominou-se bruxismo inconsciente os episódios que ocorrem à noite, e consciente os episódios que ocorrem durante o dia. Um paciente bruxômano – nome correto do paciente com hábitos característicos ao bruxismo – tem entre 6 a 8 episódios, por noite, de movimentos de aperto ou ranger dos dentes.

O tempo médio de duração de cada episódio é curto – até 10 segundos, porém suficientes para causar grandes danos às estruturas articulares, musculares e dentárias. Além da avaliação clínica, a polissonografia é um importante método de diagnóstico auxiliar para avaliar a existência e frequência do bruxismo.

 

As ações musculares da mandíbula durante o dia são menos comuns no bruxismo. Fáceis de detectar, o bruxismo diurno é identificado pelo próprio paciente apenas em períodos de maior estresse emocional. Os pacientes que apresentam bruxismo diurno tem consciência dos movimentos de ranger e apertar dos seus dentes – ao contrário do que ocorre com o bruxismo noturno, em que a maioria dos pacientes não nota o que está acontecendo. Os desgastes dentários mais severos e danos lesivos às estruturas articulares estão mais presentes no bruxismo diurno – comparado aos pacientes cujos episódios diurnos são inexistentes.

 

 

O estresse como origem e potencialização do bruxismo.

 

É bem extensa a bibliografia científica que correlaciona o estresse como potencializador dos sintomas parafuncionais – como o ranger e apertar dos dentes – característicos dos pacientes bruxômanos. O estresse não é a causa do bruxismo. O que acontece é que muitos pacientes, que passariam a vida inteira sem apresentar sinais e sintomas do doença, podem apresentá-los após a exposição a situações rotineiras de estresse.

 

 

Bruxismo em crianças.

 

É comum observar o hábito de ranger os dentes – e os sinais de desgastes dos dentes anteriores – em crianças com até seis anos, e talvez a natureza utilize essa função para acomodar e preparar a chegada dos dentes permanentes. É preciso que os pais estejam atentos ao bruxismo após o aparecimento dos primeiros dentes permanentes.

 

As crianças podem apresentar os mesmos sinais e sintomas presentes em adultos bruxômanos, porém o tratamento para crianças bruxômanas requer muita atenção e acompanhamento pelos prejuízos ao crescimento ósseo decorrente do uso de placas para bruxismo específicos para crianças. E para complicar, a incidência de fraturas dentárias pelo bruxismo é maior em crianças do que em adultos.

 

Atenção especial deve ser dada às crianças com problemas neurológicos, distúrbios de desenvolvimento e autismo. Nessas crianças as probabilidades de aparecimento de desgastes dentários pelo bruxismo são significativamente altas. Os desgastes dentários avançados em crianças podem levar ao desenvolvimento anormal dos maxilares e cronologia de erupção dos dentes – situação que carece de comprovações científicas mais aprofundadas.

 

 

Bruxismo e recuperação de dentes desgastados.

Tratamento do bruxismo.

 

Não existe um tratamento definitivo para o bruxismo uma vez que as próprias causas não estão ainda bem esclarecidas e agem em conjunto no desencadeamento do problema. Alguns procedimentos terapêuticos podem ser utilizados, concomitantes ou não, e apenas o seu dentista pode determinar qual ou quais devem ser utilizados para o seu caso.

 

• Placa acrílica miorrelaxante.

É uma placa confeccionada em acrílico transparente rígido que protege os dentes e atua como desprogramador da atividade neuromuscular característica do problema.  É popularmente conhecida como placa para bruxismo.

 

• Relaxamento muscular.

A tensão cotidiana é uma das principais causas do bruxismo – ou do seu agravamento. Procurar algum tipo de terapia relaxante que lide com o bem-estar geral do paciente e as fontes de estresse é importante no alívio dos sintomas.

 

• Medicamentos ansiolíticos.

Em casos mais graves – alguns pacientes bruxômanos podem apresentar períodos de surtos com intensa atividade muscular, um ansiolítico pode ser empregado para aliviar e conter os mecanismos de feedback de ação do apertar e ranger dos dentes. O tratamento com medicamentos é bastante comum à medicina odontológica americana.

 

• Procedimentos Paliativos.

Em períodos de intensa atividade parafuncional de apertar e ranger os dentes, medicamentos como relaxantes musculares, dieta com alimentos macios e uso de toalhas mornas e úmidas sobre os músculos e articulações doloridas ajudam a minimizar os sintomas e a otimizar a ação de medicações músculo-relaxantes.

 

• Ajustes diretos sobre os dentes.

Reconstruir os contatos entre os dentes, seja pelo desgaste planejado ou a confecção de restaurações ou coroas protéticas, ajudam a diminuir ou eliminar os sintomas.

 

• Hábitos e atitudes saudáveis

A adoção de hábitos para uma vida mais saudável e tranquila diminuem a intensidade do bruxismo e são atitudes eficazes no combate ao bruxismo tanto diurno quanto noturno.

 

Bruxismo : placa acrílica para estabilização.

 

Aparelho para Bruxismo ( ou placa miorrelaxante ).

 

O aparelho para bruxismo é um dispositivo acrílico e rígido que deve ser adaptado à arcada superior do paciente. Este aparelho age protegendo os dentes dos desgastes e promovendo o relaxamento muscular dos músculos envolvidos no processo de apertar e ranger. O uso das placas para bruxismo é indicado durante o período de sono, momento de maior atividade muscular danosa ao organismo. Surtos de atividade muscular pelo bruxismo beneficiam-se com o uso diurno da placa. O preço do dispositivo não costuma ser caro, e os benefícios do uso da placa para bruxismo compensa o preço ou outros custos envolvidos.

 

O uso de placas miorrelaxantes ( aparelho para bruxismo ) não é a cura para o bruxismo. Entretanto, o dispositivo pode minimizar a potência de ação de apertamento e ranger dos dentes, proteger os dentes da ação contínua de perda de esmalte dentário e diminuir a hipertrofia dos músculos da face e pescoço envolvidos no bruxismo – e que são os mesmo músculos envolvidos na mastigação. A placa para bruxismo permite períodos de sono mais revigorantes pela baixa atividade muscular.

 

 

Bruxismo severo e doença periodontal.

Desgaste e efeitos negativos do bruxismo à estética do seu sorriso e aos dentes.

 

• Danos estéticos.

Os desgastes dentários podem ocorrer de forma simétrica ou assimétrica. Ambas as formas são deletérias à estética do paciente, modificam a percepção de harmonia não apenas do sorriso do paciente, mas também da percepção harmônica da face.  Como esses desgastes ocorrem ao longo de muitos anos, o paciente vai se acostumando com essas mudanças e não percebe as modificações.

 

• Fraturas Dentárias.

As fraturas dentárias também são muito comuns aos dentes que possuem algum tipo de restauração, e eventualmente dentes sem nenhuma restauração podem sofrer fraturas. Dependendo da extensão dessa fratura, é necessário a remoção (extração dentária) do dente fratura e a confecção de algum tipo de dispositivo protético para a recuperação do espaço vazio decorrente da perda.

 

• Sensibilidade.

Em alguns casos – e encontrados com alguma freqüência no consultório dentário – o bruxismo pode promover um desgaste dentário tão acentuado que o esmalte dentário pode sofrer desgaste total na área submetida ao desgaste excessivo. Esse desgastes deixa uma parte da destina exposta, que é muito sensível  às variações de temperatura ( água fria ou outros líquidos gelados ) ou mudanças no ph local durante a mastigação ( como o que acontece quando comemos doces ou cítricos ).

 

• Tratamento de canal.

Quando o desgastes do esmalte é total e uma parte significante da dentina também foi desgastada é necessária a realização de tratamento endodôntico – tratamento de canal – para aliviar o excesso de sensibilidade de dor dentária, quando outros procedimentos convencionais de alívio da sensibilidade já não fazem mais efeito. Um desses tratamentos conservadores de reversão da sensibilidade é a aplicação de produtos dessensibilizantes específicos.

 

• Recessão ou retração gengival.

Ainda não se sabe os mecanismos que levam os dentes sob ação de contatos pré-maturos (quando um dente interfere no fechamento correto das arcadas) ou cargas mastigatórias excessivas a provocar retrações nas gengivas. Essa é uma discussão antiga e foco de muitas pesquisas científicas. Mas o fato é que, sim, são encontradas associações entre recessão gengival e bruxismo.

 

• Movimentações dentárias

Não estão cientificamente entendidos os mecanismos pelos quais os dentes alteram de posição mediante a ação muscular exagerada da mandíbula. O certo é que nos pacientes com bruxismo o aparecimento de espaços ou dentes girados estão constantemente associados ao problema.

 

bruxismo e recessão da gengiva

Como recuperar a forma dos dentes desgastados ?

 

A recuperação dos desgastes dentários provocados pelo bruxismo é uma grande desafio para a odontologia. Os dois principais materiais utilizados na restauração desses dentes, a porcelana e a resina, apesar dos recentes avanços, ainda carecem de características perfeitas para atender às necessidades impostas pelo bruxismo. Além disso, a adesão desses materiais aos dentes é outro fator de falhas recorrentes, principalmente nas restaurações em resinas construídas apenas nas partes (pontas) desgastadas pelo bruxismo.

 

Os efeitos de desgastes dentários pelo bruxismo são mais severos nos dentes anteriores, e são exatamente esses dentes os que mais preocupam os pacientes. Para restabelecer o comprimento natural perdido pelos desgastes nos dentes anteriores é necessário restabelecer primeiro os desgastes que também ocorrem nos dentes posteriores – para recriar o espaço necessário à reconstrução das pontas nos dentes anteriores.

 

É um tratamento geralmente oneroso para resultados efetivos, uma vez que procedimentos realizados com resinas dentárias – e que são mais baratas – não tem sucesso ao longo dos anos. O tratamento definitivo para os casos severos são realizados com próteses dentárias.

Recuperação dos desgastes dentários pelo bruxismo com RESINAS: versatilidade.

 

• desgastes em estágios iniciais.

 

A utilização de resinas para a recuperação dos desgastes pelo bruxismo está indicada para os casos iniciais de desgastes em dentes anteriores. Nos estágios iniciais um número pequeno de dentes apresenta alteração de forma por desgastes.

 

A condição para que a recuperação dos desgastes pelo bruxismo em dentes anteriores seja efetiva é que ainda exista o espaço antes ocupado pela parte do dente que foi desgastado, e que esse desgaste seja pequeno – um desgaste pequeno pode ser entendido como a perda de até 10% da coroa dentária. Desgastes mais extensos do que isso levam à falhas constantes nas restaurações em resinas utilizadas para recompor essa áreas.

 

Em dentes superiores os desgastes podem ser evidenciados nos caninos. A abordagem para recuperar os desgastes dentários provocados pelo bruxismo com resinas é diferente para esses dentes porque o canino tem uma função diferente dos demais dentes na arcada – ele atua como protetor dos demais dentes durante os movimentos de lateralidade, característicos nos movimentos mandibulares presentes no bruxismo.

 

Recuperar as pontas desgastadas dos caninos, nos estágios iniciais, pode prevenir os futuros desgastes que podem ocorrer nos demais dentes, tanto na arcada superior quanto na arcada inferior.

bruxismo e restauração com resina de dentes desgastados.

 

• desgastes em estágios avançados.

 

Nos estágios mais avançados do bruxismo podemos evidenciar os seguintes achados clínicos:

✓ desgastes em dentes anteriores superior a 10% do comprimento total desse dente;

✓ desgastes em dentes posteriores;

✓ ausência de espaço nos dentes anteriores para reconstruir a parte desgastada do dente.

 

Nos estágios mais avançados do bruxismo a recuperação dos dentes posteriores são essenciais para aumentar o espaço necessário para a reconstituição da forma dos dentes anteriores. Embora muito utilizada em consultório, os resultados não são confiáveis devido à pouca resistência aos desgastes pelas resinas nos dentes posteriores e ao limitado poder de adesão das resinas à desgastes mais extensos nos dentes anteriores – motivo para idas constantes dos pacientes aos consultórios para refazer as restaurações nessas regiões.

 

Recuperação dos desgastes dentários pelo bruxismo com PORCELANAS: casos severos de desgaste.

 

As porcelanas dentárias são mais resistentes e resolutivas nos tratamentos para recuperação dos desgastes dentários provocados pelo bruxismo em casos mais severos. Os casos com desgastes mais leves são melhor resolvidos com restaurações em resina.

 

As técnicas para recuperação dos desgastes dentários com porcelanas são realizadas com próteses dentárias, dado o alto grau de desgaste e necessidade de resistência e recuperação elevada dos casos severos de bruxismo. É por isso que os casos mais leves são indicados aos tratamentos de recuperação com resinas.

 

A recuperação dos desgastes em casos iniciais com facetas em porcelana são indicações duvidosas. São efetivas porém os preços envolvidos nesses tratamentos são relativamente maiores. Em algumas situações o preço de apenas uma faceta em porcelana pode ser semelhante ao preço de várias restaurações em resina. As facetas em resina não são indicadas para a recuperação dos desgastes pelo bruxismo.

 

Tendências nos tratamentos de recuperação dos desgastes dentários provocados pelo bruxismo

 

Novas técnicas e materiais em tratamentos de saúde aparecem da mesmo forma como desaparecem do mercado. Resinas e porcelanas para restaurações ou próteses dentárias continuam sendo as técnicas tradicionais para reparar e recuperar os desgastes pelo bruxismo. A prevenção – pelo adoção da placa e atitudes contra a ação muscular do bruxismo – continua sendo uma forma eficaz de evitar a perda da dimensão de altura da mordida – e que produz os déficits estéticos mais severo.

Fonte: https://luisgustavoleite.com.br/blog/bruxismo-e-dentes-desgastados-placas-aparelhos-e-tratamentos/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *